Astaxantina: A importância da suplementação desse poderoso antioxidante

Conhecida como uma das substâncias com maior potencial antioxidante do mundo, a Astaxantina é um pigmento da classe dos carotenoides presente em algas marinhas, principalmente na Haematococcus pluvialis. Por se alimentarem dessa microalga, algumas espécies marítimas acabam por adquirir a cor alaranjada como o salmão selvagem, o camarão e a lagosta, dessa forma, esses são alimentos considerados com as maiores fontes de Astaxantina. Levando em consideração que a maior parte das pessoas raramente consome no dia a dia esses alimentos, a suplementação da substância acaba sendo uma maneira prática e eficaz de garantir os inúmeros benefícios que a Astaxantina pode promover no organismo.

Doses diárias podem atuar positivamente de diversas formas, mas de modo geral, suas funções estão relacionadas à sua capacidade anti-inflamatória e antioxidante. Cerca de 6.000 vezes mais potente que a Vitamina C, a Astaxantina é uma das substâncias com a maior escala ORAC (Oxygen Radical Absorbance Capacity). Por possuir estrutura química com baixo peso molecular, a Astaxantina é capaz de atravessar a barreira hematoencefálica e inibir genes causadores da inflamação, sendo assim, pode atuar como um mediador e até mesmo como um analgésico em doenças inflamatórias crônicas como a artrite e a Doença de Crohn. Protege ainda a pele dos efeitos da exposição solar por agir como um fotoprotetor, resguardando as fibras colágenas da oxidação, prevenindo o envelhecimento precoce e auxiliando na manutenção da hidratação e da elasticidade. Alguns estudos têm, inclusive, relacionado a ingestão de Astaxantina a redução de rugas e linhas de expressão.

A Astaxantina age também na potencialização da resposta imune inata induzindo o aumento da capacidade fagocítica de células de defesa contra patógenos, da produção de células imunológicas específicas e consequentemente da redução dos níveis de Proteína C Reativa, um dos principais marcadores sanguíneos de inflamação.

O potencial anti-inflamatório reduz ainda a probabilidade de complicações cardíacas nos locais com formação de placas de ateroma, comumente presentes em vasos sanguíneos de indivíduos dislipidêmicos. Seus efeitos antioxidantes previnem replicação celular desordenada, inibindo o desenvolvimento de tumores e a degradação tecidual. Igualmente, a substância atua na prevenção de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer, impedindo danos oxidativos causados à bainha de mielina, estruturas responsáveis pela comunicação neuronal e que são fortemente acometidas pelos radicais livres.

O suplemento também pode ser um grande aliado dos praticantes de atividades físicas, considerando que atividades aeróbicas de alta intensidade potencializam a geração de radicais livres devido ao elevado uso de oxigênio, aumentando consideravelmente a demanda de ingestão de antioxidantes exógenos. A substância também é capaz de otimizar a recuperação muscular, tendo em vista que desgastes musculares promovidos por atividades físicas induzem processos inflamatórios. As propriedades anti-inflamatórias da Astaxantina são capazes de modular enzimas que mediam esse processo, além de acelerar a regeneração celular. 

As doses recomendadas variam entre 4 e 40mg, mas é utilizado 1 cápsula ao dia, juntamente à refeição. Quando ingerida na presença de gorduras tem a biodisponibilidade aumentada, porém os horários de ingestão podem variar de acordo com a indicação. Para aumento da recuperação muscular, por exemplo, deve ser ingerida antes da realização dos exercícios físicos.

A suplementação é contraindicada para gestantes, lactantes, crianças abaixo de 11 anos e pessoas que tenham alergia ou sensibilidade a frutos do mar. Os efeitos colaterais relacionados à Astaxantina são quase inexistentes devido à estabilidade química de sua molécula, diferente do que ocorre com outros antioxidantes exógenos como o ácido ascórbico (Vitamina C), que em quantidades elevadas tende a desestabilizar-se e tornar-se um agente oxidativo (radical livre), ou seja, o efeito contrário do esperado. 

É considerado um suplemento seguro e extremamente eficaz, entretanto, para determinar a real necessidade de ingestão de antioxidantes como a Astaxantina, assim como os melhores horários e doses para ingestão é fundamental que haja acompanhamento nutricional especializado.

Compartilhar esse arquivo
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Autor

Instituto Ortomolecular

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados são obrigatórios.