Manjericão Sagrado: Os principais benefícios da erva mais utilizada na medicina Ayurveda

O Manjericão Sagrado ou Ocimum tenuiflorum, é uma planta da família Lamiaceae, de origem indiana, extremamente presente até os dias atuais na cultura desse continente. Diferente das demais variedades de manjericão que comumente encontrados nos mercados, o Manjericão Sagrado é difundido como uma planta medicinal, entretanto também pode ser consumida como tempero.

A cerca de 3 mil anos a planta é utilizada na medicina Ayurvédica na Índia, onde é conhecida como Tulasi ou Tulsi e é considerada sagrada. Seu nome vem do sânscrito tulanaa naasti tulasi, que significa “aquilo que não pode ser comparado”, o que demonstra a singularidade dessa erva no continente. Comumente relacionada à proteção, é comum que na Índia as famílias plantem espécimes de Manjericão Sagrado no jardim da casa ou em grandes vasos, que são colocados bem na frente das residências.

No Brasil, a Tulasi surgiu recentemente, a cerca de 20 anos, mas desde então vem recebendo destaque por suas propriedades medicinais. O Manjericão Sagrado tem sido amplamente explorado na pesquisa científica. A planta, utilizada para tratar estresse e também problemas digestivos na Ayurveda, tem demonstrado grande potencial para a manipulação de compostos contraceptivos e reguladores de insulina.

O cultivo do Manjericão Sagrado é semelhante ao do Manjericão comum. Ambos precisam de solo rico, úmido e bem drenado, além da incidência solar diária. Com característica arbustiva, a Tulasi cresce abundantemente quando está em ambientes favoráveis, chegando a atingir 1 metro de altura. Seu ciclo de vida é bastante longo, o que significa que pode ser colhida durante todo o ano, sem que isso cause prejuízos à planta. 

Uma das propriedades mais relevantes do Manjericão Sagrado é o fato de ser uma erva Adaptógena, o que significa que de forma não específica a planta atua aumentando a resistência do organismo a fatores externos, favorecendo a homeostasia, ou seja, o estado de equilíbrio. Esse fato se aplica tanto do ponto de vista físico, quanto mental. Como Antioxidante, a planta favorece o combate aos radicais livres, moléculas que oxidam as células do organismo e aumentam as chances no desenvolvimento de doenças neurodegenerativas e câncer.

A Tulasi pode ser utilizada como anti-inflamatório reduzindo o edema, o inchaço e também a dor na região. Em doenças de acometimento articular como a fibromialgia, o Manjericão Sagrado pode reduzir ativamente os sintomas quando consumido regularmente. Sua ingestão também está associada ao funcionamento hepático e renal, tendo em vista que a planta potencializa o funcionamento desses órgãos visando à eliminação de toxinas do organismo.

Sua importante atividade imunomoduladora faz com que as células de defesa do organismo sejam corretamente ativadas, dessa forma, pessoas com doenças autoimunes podem observar uma grande melhora ao fazer o uso do Manjericão Sagrado como tratamento complementar. Além de fortalecer o sistema imunológico, a planta pode ser considerada um aliado para pessoas que fazem uso constante de medicamentos que tenham como efeito colateral a inibição da formação de muco estomacal, como alguns dos anti-inflamatórios mais conhecidos. Por aumentar naturalmente essa liberação de muco no interior do órgão, o Manjericão Sagrado pode atuar como um protetor contra gastrites e úlceras.

A Tulasi pode ser consumida através da infusão das folhas desidratadas, óleos extraídos a frio ou ainda através de cápsulas desenvolvidas em farmácias de manipulação. A infusão é mais utilizada como um relaxante, principalmente para o período da noite, por auxiliar na qualidade do sono e também contra a indigestão. O óleo é utilizado como repelente, anti-inflamatório tópico para infecções de pele, para constipação, tosse e crises de bronquite. Já as cápsulas, a forma mais prática de consumo do Manjericão Sagrado, é utilizada como tratamento complementar em diversos casos e também na manutenção da saúde em pessoas saudáveis, em doses que podem variar de 500 mg a 2 gramas por dia.

Apesar de ser considerado um fitoterápico, a Tulasi pode apresentar em efeitos colaterais importantes, que devem ser considerados em populações específicas. Gestantes devem evitar o consumo devido à presença do Estragol na planta, uma substância que pode causar contrações uterinas e consequentemente abortos espontâneos. Pessoas que fazem uso de medicamentos como Warfarina ou Marevan também devem evitar o Manjericão Sagrado, por atuar como um anticoagulante natural que pode interferir na ação desses medicamentos.

O consumo da planta pode causar hipoglicemia, algo favorável em pessoas diabéticas, entretanto insulinodependentes necessitam de orientação médica quanto às doses e horários de ingestão, já que a queda excessiva da glicose sanguínea pode causar tonturas, desmaios e evoluir para quadros mais graves.

De modo geral, o Manjericão Sagrado é uma alternativa eficaz e totalmente natural, que oferece diversos benefícios à saúde quando utilizado de forma adequada, sob orientação médica.

Compartilhar esse arquivo
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Autor

Instituto Ortomolecular

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados são obrigatórios.